Atualize seu navegador!
Centro Snoezelen/MSE - São Paulo


O QUE É SNOEZELEN/MSE?

O SNOEZELEN / MSE é uma metodologia de estimulação multissensorial que surgiu na Holanda na década de 70 e foi criado por dois terapeutas, Verheul e Hulsegge. O nome snoezelen vem da junção de duas palavras: “SNUFFELEN”, explorar; e “DOEZELEN”, relaxar. O MSE (Multi Sensory Environment) propõe um ambiente equipado com rico material multissensorial, ou seja, recursos que estimulam os cinco sentidos: visão, audição, olfato, tato e paladar. A sala de atendimentos deve ser um local com luzes, sons, cores, texturas e aromas, onde os objetos são coloridos e disponibilizados para serem tocados, vistos e admirados, diminuindo e/ou eliminando a agressividade e qualquer forma de estresse, entre outras condições. Assim, os sentidos são estimulados dando sensação de prazer e favorecendo o desenvolvimento global do indivíduo.

 

A QUEM SE APLICA A METODOLOGIA SNOEZELEN?

A todas as pessoas que apresentem quadros de estresse, agressividade, hiperatividade, medo, depressão, pânico, idosos e pessoas com lesões adquiridas temporárias ou permanentes.
Pode e deve ser usada em escolas especiais, hospitais, casas de idosos e clínicas particulares.

 

OBJETIVO DO CENTRO

O objetivo do Centro Snoezelen/MSE – São Paulo é atuar na aplicação da metodologia Snoezelen no tratamento da pessoa com deficiência a fim de complementar o processo de habilitação e reabilitação. Capacitar novos terapeutas Snoezelen no estado de São Paulo que têm interesse em instalar Salas Snoezelen ou ambientes multissensoriais.

Objetivo do trabalho no Snoezelen/MSE:
Oferecer um ambiente que gere efeitos relaxantes, calmantes e interativos e, ao mesmo tempo, que ativem as diferentes áreas da percepção, estimulando multissensorialmente os indiví­duos isolados pela inabilidade perceptiva.

Objetivo da preparação da equipe:
É importante, ao se pensar no trabalho com o SNOEZELEN/MSE, que se estruture uma equipe multiprofissional, uma vez que a clientela a ser atendida é bastante diferenciada em idades e necessidades. Baseado nisso, ao formar uma equipe deve se considerar a seguintes especialidades: Psicologia (para atuar com os aspectos emocionais, afetivos e comportamentais, etc.); Fisioterapia (para atuar com aspectos motores, musculares, ortopédicos e com pacientes com lesões adquiridas e permanentes, etc.); Fonoaudiologia (para atuar com aspectos de comunicação expressiva ou receptiva, etc.); Pedagogia (para atuar na vivência e experimentação de conceitos, etc.) e Terapia Ocupacional (atuando sobre as habilidades manuais, esquemas corporais, hábitos de vida diária etc).


COMO FAZER PARA INTEGRAR-SE À REDE NACIONAL?


Só é possível integrar-se a rede instalando a Sala Snoezelen/MSE, cujos trâmites são norteados por meio de um contrato concedido pela AMCIP, no qual todas as regras estão descritas pela multiplicadora nacional e são repassadas pela APAE Bauru durante o curso de formação.
O valor para integrar-se à Rede é estabelecido pela AMCIP e reajustado anualmente. Os profissionais indicados por instituição ou autônomos (clínicas) só podem atuar no Snoezelen dentro da instituição de referência e não podem abrir salas ou criar espaços semelhantes, pois o vínculo é com a instituição e não com o profissional. Se acaso este profissional se desligar da instituição poderá trabalhar em outra que tenha uma Sala Snoezelen/MSE ou poderá integrar-se à Rede e instalar nova sala em sua cidade.
 
O curso de Formação realizado em 224 horas (44h - presencial, 60h - à distância e 120 - intervenção), ministrado por profissionais credenciados na Rede Snoezelen/MSE. Todos os conteúdos referentes ao Snoezelen/MSE são transmitidos somente no curso de capacitação, por complementação pós-curso, ou então pelos sites que descrevem a utilização da metodologia com conteúdos públicos: www.snoezelenmse.blogspot.com.br, www.bauru.apaebrasil.org.br, www.amcip.com.br ou outros sites disponíveis na internet.

O que a formação oferece?
Preparação e formação de novos terapeutas Snoezelen para atuar dentro do MSE; orientações para montagens de ambientes; indicação de sites/empresas para importação de equipamentos não existentes no Brasil; indicação de profissionais que possam realizar projeto de implantação da sala snoezelen; participação da criação da Rede Nacional  Snoezelen, com o objetivo de trocas de experiências e estudos de casos.
 
Quem  pode atuar nos ambientes multissensoriais?
Profissionais de nível superior nas áreas de educação e saúde.
 
Que clientela pode ser beneficiada?
Pessoas com deficiência, idosos, pessoas acometidas por quadros de depressão, ansiedade, stress e crianças e adolescentes com distúrbios de aprendizagem.

Onde o ambiente multissensorial  pode ser instalado?
Em escolas de Educação Especial, hospitais, creches, escolas de educação infantil, lar de idosos, clínicas particulares, desde que credenciados pela AMCIP e pelo Centro Snoezelen de seu Estado.
 
IMPORTANTE
Instituições interessadas em entregar projetos a empresas ou instituições bancárias para custear a implantação da Sala Snoezelen/MSE, devem, primeiramente, procurar um Centro Snoezelen/MSE de seu estado ou instituições que tenham salas em funcionamento, agendar visita, conhecer a estrutura, participar do curso de Formação Snoezelen/MSE para que, após essas etapas, possam escrever os projetos com mais propriedade. Nenhum integrante cadastrado na Rede está autorizado a repassar informações técnicas sobre a metodologia.

PRÓXIMA CAPACITAÇÃO PARA INTEGRAR-SE À REDE
 

HISTÓRICO

Na década de 80 Jan Hulsegge e Ad Verheul descreveram e destacaram o desenvolvimento do Snoezelen na primeira edição e “Snoezelen: Um outro mundo” (1987). Em seu próprio prefácio, eles escreveram com a intenção de deixar para o leitor decidir livremente como aplicar as ideias deles na prática no ambiente multissensorial.
No início do trabalho com o Snoezelen, na Holanda, priorizou-se as pessoas com deficiência múltipla grave. Estas encontravam-se em leitos de hospitais ou residências psiquiátricas sem estímulo algum que pudesse promover a melhoria de suas funções perceptuais, sensoriais e cognitivas.
Por essas condições que os dois autores começaram a pensar e instalar móbiles coloridos, objetos que exalavam um cheiro agradável colocando-os em suas camas e associando a internação como algo também produtivo e um pouco mais prazeroso a essas pessoas. Essa iniciativa inovadora de gerar estímulos para os deficientes graves gerou muitos resultados por parte dos pacientes, pois começaram a dar respostas simples como: foco no olhar, reflexos de pálpebras, intenção comunicativa e diminuição do isolamento. Dos leitos de internação passaram a criar, com estes mesmos estímulos, ambientes específicos, partindo do princípio de que pouco a pouco obtiveram respostas mínimas desses pacientes. 
Assim nascia a terminologia Snoezelen, com três aspectos importantes para o seu trabalho: exploração, sensação e relaxação, ou seja, ao mesmo tempo em que as pessoas precisavam ser estimuladas a explorar indiretamente e de forma mais livre, o ambiente deveria estar preparado com uma atmosfera de tranquilidade associando aos sons da natureza chamados pelos autores de “murmuring brook” (sons de riacho).
Desde 1970, o SNOEZELEN é usado na Holanda. Foi testado com crianças com atraso no desenvolvimento. O sucesso do trabalho levou a UK, a elaborar e investir num vasto campo de material e produtos especializados na ação com clientes, a ex da Flaghouse. 
Em 1991, instalou-se na Dinamarca e em 1992 foi levado à Inglaterra, e instalado o CENTRO SNOEZELEN no Hospital WHITTING HALL, uma Instituição para crianças com deficiência intelectual, projeto esse apoiado em sua instalação pelo Rotary Internacional. 
A metodologia SNOEZELEN começava ser aplicada e expandida na Europa. Em 1993 na Suécia, a Casa de BALDER implantou o trabalho, que com o tempo passou a fazer parte do programa da Escola Especial Balden Huss. 
Nos Estados Unidos está ligado à ROMPA e Flaghouse. Outra corrente nasceu nos Estados Unidos, o MSE - Multi Sensory Environments (ambientes multissensoriais) que está sendo disseminado pela Hidden Angel Foudation. 
No Brasil, o SNOEZELEN foi trazido em 2005 pela AMCIP – Associação Mantenedora do Centro Integrado de Prevenção, em Curitiba, no Paraná e em 2007 buscou aprimoramento em Colorado Spring do MSE. 
Hoje a AMCIP possui o direito intelectual do uso da marca SNOEZELEN/MSE no Brasil como Rede Nacional, desde 2008.
Em maio 2009 a APAE de Bauru buscou capacitação com a AMCIP tornando-se Centro Snoezelen/MSE para o estado de São Paulo, com a equipe caracterizada como multiplicadora certificada pela AMCIP, atuando com exclusividade na cidade de Bauru. A inauguração da sala aconteceu em 23 de outubro de 2009 e a montagem e instalação dos equipamentos foi realizado em parceria com universitários concluintes do curso de engenharia elétrica da Universidade Paulista – UNIP Campus Bauru.
Em 2010 foi realizado o primeiro curso de formação Snoezelen. Três instituições participaram e se integraram à Rede Snoezelen/MSE: APAE de Campinas, APAE de Torrinha e a Casa da Criança de Tupã.
Em outubro de 2011 foi realizado o segundo curso de Formação Snoezelen/MSE e como participantes tivemos quatro profissionais do CIEEJA – Centro de Integração para Educação Especial de Jovens e Adultos da Secretaria Municipal de Educação da cidade de Botucatu que se integrou à Rede juntamente com uma pedagoga da APAE de Torrinha que participou para complementação de sua equipe já existente. Na ocasião, participaram alguns funcionários da APAE Bauru de todas as áreas: pedagogia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia e fisioterapia.
O curso de 2012 contou com a participação da APAE Itapetininga, que integrou-se a Rede, e APAE Bauru. Em 2014 o curso complementou as equipes da APAE Bauru e APAE Itapetininga. Em 2015 a APAE São José do Rio Preto integrou-se a rede, juntamente com a equipe da Escola Municipal de Educação Especial "Profª. Nair Peres" da Secretaria Municipal de Educação de Botucatu, o curso do mesmo ano também complementou as equipes de Tupã e Bauru. 





SALAS INAUGURADAS

Torrinha - Setembro de 2011
Tupã - Março de 2012
Botucatu/CIEEJA - Novembro de 2012
Itapetininga - Novembro de 2013
Botucatu/Escola "Profª. Nair Peres" - Março de 2016 (novas instalações)

Atualmente o Centro Snoezelen/MSE São Paulo – APAE Bauru conta, então, com cinco instituições habilitadas para trabalhar com a metodologia Snoezelen/MSE e está sempre em busca de novas ideias para oferecer um atendimento com mais qualidade aos seus atendidos.

 

 


REFERÊNCIAS


AMCIP, ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA DO CENTRO INTEGRADO DE
PREVENÇÃO O que é Snoezelen/MSE? Disponível em: <http://www.amcip-pr.org.br/index2.htm> Acesso em:15.mar.2011.

CUNNINGHAM, C. C., HUTCHINSON, R. Recreation for people with profound and severe learning difficulties: the Whittington Hall Snoezelen Project. In: The Whittington Hall Snoezelen Project. A Report from Inception to the End of the First Twelve Months (ed. R. Hutchinson). Chesterfield: North Derbyshire Health Authority, 1991.

HAGGAR, L. E.; HUTCHINSON, R. B. Snoezelen: an approach to the provision of a leisure resource for people with profound and multiple handicaps. Mental Handicap, 1991. p. 51–55.

HULSEGGE, J.; VERHEUL, A. Snoezelen : another world. Derbyshire: ROMPA, 2006.

KING, B. H. Self-injury by people with mental retardation: a compulsive behaviour hypothesis. American Journal of Mental Retardation. N. 98, 1993. p. 93 – 112.

SELLA, M. A. P. Snoezelen – Um caminho para o mundo sensorial, Curitiba,
AMCIP, 2008.

SILVA, E. R. Snoezelen/MSE – Estimulação Multissensorial para pessoas com deficiência. Disponível em: <www2.fc.unesp.br/cbe/anais.pdf P. 687>. Acesso em: 06.Jun.2012


CONTATO

APAE-Bauru
Coordenador Eder Ricardo da Silva
Avenida José Henrique Ferraz, 20-20 - Residencial Granja Cecília
CEP 17054-697 - Bauru - SP
Tel.: (14) 3106-1252 - E-mail: snoezelenbauru@apaebrasil.org.br